• +55 (61) 3345.0477 / +55 (61) 98178.8117 (WhatsApp)

Artigos

Programe-se para aproveitar os lazeres da vida

Quinta, 16 Fevereiro 2012 19:44

Segundo o jornal Valor Econômico, em edição de 07/02/2012, o gasto com entretenimento foi apontado como prioridade dos brasileiros em 2011, isso após o pagamento das despesas essenciais e em detrimento a pagar dívidas e poupar, podendo continuar assim em 2012 e nos anos seguintes.

Em decorrência disso os empresários da indústria de entretenimento preparam uma maratona de shows  e festivais, nacionais e internacionais, país afora.Em 2012, o Brasil receberá 3 Doors Down, Lollapalooza, Roger Waters, Priscila, a Rainha do Deserto; carnaval, fórmula Indy, fórmula 1 e muito mais. E para aqueles que querem assistir a um ou a vários desses espetáculos, só há uma coisa a fazer: planejar seu orçamento para tal, assim como devem fazer com outros gastos futuros, tão ou mais importantes que o entretenimento.

A questão é que, isoladamente, o ingresso de um evento cultural pode representar um valor aparentemente pequeno. Infelizmente essa ilusão estimula as pessoas adispensar o planejamento do gasto. Aqui está o problema: o ingresso de um show, normalmente, vem acompanhado deoutros custos, como, por exemplo, o transporte – gasolina e estacionamento ou taxi e, em alguns casos, também a passagem aérea, que se comprada sem planejamento, pode ser muito cara. Soma-se a estes as despesas com alimentação – almoço, lanche, água, jantar e etc.Para quem viaja para assistir a um evento fora de sua cidade de domicílio, ainda é necessário acrescentar a hospedagem. Isso tudo sem contabilizar a produção para o evento, que pode ser desde uma roupa ou sapatos novos, como outros itens pra incrementar o visual.

E se a pessoa quiser participar de muitos, ou quem sabe,  de todos os eventos, a conta anual pode ser um verdadeiro “show” - de horrores financeiros. Os orçamentos estourados,  dívidas no cartão de crédito e cheque especial são nomeados por mim de “dívidas de entrada”. Não de entrada dos espetáculos, mas de entrada em um mundo de pressões e prejuízos. Muitas pessoas buscam um entretenimento como forma de relaxar e aliviar o estresse e, sem perceber, indiretamente, aumentam ainda mais o seu nível de tensão interna, vivenciando situações fora de sua realidade econômica, que as coloca em apuros financeiros, que vão estourar, muito provavelmente, muitos anos mais tarde, ou pior ainda, lá na velhice.

A solução é fazer um planejamento minucioso de seu orçamento. Primeiro, verificando se você tem dívidas. Se sim, o primeiro passo é canalizar suas energias para pagá-las. Tomando como base os registros que tenho, as pessoas estão desperdiçando, em média, 30% de sua renda líquida com pagamento de juros. Isso me leva a perguntar: para que ir a um evento para se “energizar”, estando você minado em suas energias financeiras? Resolva primeiro as suas dívidas e, até conseguir, entretenha-se de forma mais modesta (e nem por isso menos divertida) ou gratuita e evite as grandes despesas, muitas vezes feitas apenas para acompanhar a turma ou seguir algum modismo.

Paralelamente a isso, ou caso você não tenha dívidas, planeje  suas receitas líquidas, seus gastos do mês e os do dia-a-dia.Deixe um espaço de seu tempo e de seu dinheiro para planejar as suas despesas futuras, aquelas que muita vezes você nem se lembra que existem, mas quejá estão no seu nome, emboraa fatura ainda não tenha chegado.

Falo dos gastos com impostos, presentes, shows, viagem de férias, troca do carro, festa de casamento, compra da casa própria, aposentadoria, etc. Despesas que se você não planejar, farão com que você contrate crédito.Isto porque, não tendo dinheiro para pagá-las à vista, em algum dia no futuro, próximo ou distante, você perderá os descontos concedidos a quem paga de uma única vez. E pior, pagará duas ou três vezes mais sobre o valor original do bem, simplesmente por tê-lo financiado.Se muitas destas despesas forem recorrentes, você correrá o risco de se manter endividado por toda a vida.

Assim, crie o hábito de planejar suas despesas futuras e inclua nelas os shows que você gostaria de assistir, afinal não faltarão oportunidades para você ver de perto seus artistas e atletas preferidos. Se nesse ano não for possível, planeje para o próximo, ou ainda para os próximos, mas faça um planejamento realista, perguntando-se: eu realmente quero ir ou estou seguindo a manada? Eu tenho dinheiro para isso? - Crédito nessa hora não vale, lembre-se de que você está no Brasil – e por fim, precisa ser este ano? Se respondeu a sim em todas as três perguntas, com sinceridade e verdade com você mesmo, aproveite o show. Se não, adie, em seu planejamento, as datas dos eventos que você gostaria de ver e espere o tempo necessário para responder sim às três perguntas. Agindo deste modo, no futuro, sua vida financeira poderá vir a ser um espetáculo. E de gala!

Autor: Rogério Olegário do Carmo