• +55 (61) 3345.0477 / +55 (61) 98178.8117 (WhatsApp)

Artigos

Você cuida ou controla seu dinheiro?

Segunda, 09 Janeiro 2017 02:35

Você já parou pra analisar como é a sua relação com o seu dinheiro? Desde que começamos a entender “os negócios”, nos relacionamos com o dinheiro e essa relação começa cedo. Na infância quando pedimos um presente para nossos pais já ouvimos falar no tal dinheiro, seja porque nossos pais não tem ou porque nos perguntam se nós temos dinheiro para pagar o que queremos. E aí, nós começamos a ouvir um pouco de tudo: “Você precisa economizar.” – “Você tem que colocar seu dinheiro no cofrinho” – “Você tem que aprender a controlar o seu dinheiro” – “Dinheiro não cai do céu” – “Pra ganhar dinheiro tem que sofrer e trabalhar” – “Você tem que cuidar do seu dinheiro”... E essas são apenas algumas das frases que aprendemos durante a vida.

E nessa “pressão pelo dinheiro”, muitas vezes ficamos sem saber qual é a melhor relação que devemos ter com ele. As principais são controlar ou cuidar o dinheiro que ganhamos com o salário ou investimento que fizemos. Mas você já parou para pensar qual a forma correta de tratar esse aliado? Sim, porque o dinheiro é um aliado. É com ele que vamos realizar os desejos tão sonhados, desde que saibamos como lidar com nossas finanças pessoais.

Por causa do tipo de educação, nossos pais nos ensinaram que necessitamos ter controle sobre o dinheiro que ganhamos com o trabalho, que é fundamental controlar as finanças, mas é justamente aí que pode estar o erro. Para o planejador André Gustavo Fröhlich, da Libratta Finanças Pessoais, o excesso de controle pode atrapalhar a nossa situação com o dinheiro. “Controlar as coisas, significa você estabelecer uma relação baseada em regras, rigidez, autoritarismo, sempre seguido de punição para qualquer descumprimento. E essas características não nos trazem sensações boas e, nos levam a pensar que estamos sendo forçados a fazer algo que não é natural, ou que não gostamos.”

O problema é que sempre que há controle, pode existir rebeldia, “e é por isso, que ao tentarmos controlar nossas finanças, acabamos nos rebelando contra as próprias regras que criamos, e nunca chegamos muito longe no objetivo”, afirma o planejador.

O correto é mudar a visão e passar a cuidar do dinheiro. Quando a relação com o dinheiro muda, temos outro olhar e conseguimos aproveitar os melhores momentos da nossa vida, seja em família ou com amigos queridos. “Aonde somos nutridos pelo afeto, respeitados por nossas escolhas, onde há aprendizado, sem que haja repressão ou qualquer tipo de sub julgamento de nossa identidade, frouxidão e permissividade, existe mais flexibilidade nas escolhas e todas são discutidas e adaptadas a realidade de cada um, buscando sempre o equilíbrio e harmonia.”, afirma André.

A própria forma de descrever o “Controle” e o “Cuidado” com o dinheiro, demonstra qual das duas tem mais chances de sucesso. Dinheiro é como uma pessoa, gosta de ser cuidado e não controlado. Se você não cuidar dele, ele vai para as mãos de quem cuida.

          Analisando por este ângulo, faça com que o dinheiro pertença ao seu cotidiano de maneira natural, converse sobre ele em família, estabeleça planos em conjunto, procurem soluções para os problemas, com o objetivo de resolver e não cobrar nada de ninguém, pesquise e compare preços evitando pagar caro por algo que não valha a pena e tem mais... “Guarde antes de gastar, não pague juros, não se endivide, acompanhe seus investimentos, guarde dinheiro para seus projetos de vida, enriqueça e deixe um legado financeiro para seus herdeiros”. Só assim vamos aprender a cuidar do nosso dinheiro e aproveitar as vantagens que essa relação equilibrada proporciona.